UTH member Alda Botelho Azevedo is featured on the latest episode of 90 Segundos de Ciência, a program on Portugal national radio Antena 1 that provides short introductions to researchers and their work. Listen to the episode here.

In the episode, in Portuguese, Alda talks of her work on the demography of housing, particularly on two UTH based projects, SustainLis (on rehabilitation and vulnerable populations in the historic centre of Lisbon) and HOPES (on housing politics, policies and demography).

Here’s the summary of the episode:

O SustainLis tem como objetivo estudar o efeito das políticas de habitação e de requalificação urbana do centro histórico de Lisboa em três grupos vulneráveis, os idosos, os imigrantes e os jovens em início de vida adulta.

Já o projeto HOPES tem como foco interligar três dimensões da demografia da habitação, os movimentos sociais, as políticas urbanas e as dinâmicas demográficas da população local. A ideia deste projeto é perceber e identificar as perspectivas e as lutas da habitação na Lisboa atual.

O contributo de Alda Botelho de Azevedo para estes dois projetos insere-se no âmbito da demografia da habitação, uma subárea da demografia que estuda as interligações existentes entre a população e a habitação, duas áreas que muitas vezes são estudadas separadamente.

“Em 2018, por exemplo, existiam 1,4 casas por família em Portugal. Ainda assim em todo o território nacional nós temos famílias em situação de privação habitacional. Isto explica-se por um conjunto de desajustamentos diversos que a demografia da habitação tenta interligar e tenta explicar”, refere.

Segundo a investigadora, no caso específico da área metropolitana de Lisboa, este desajustamento explica-se por um lado pela existência de um desalinhamento entre aquilo que é a distribuição territorial da população e da habitação, mas também pela relação entre os preços da habitação e o rendimento familiar.

“Importa assim olhar para estas interligações para que seja possível compreender melhor o presente e antecipar situações futuras, no sentido de garantir que a habitação possa cumprir as suas funções de abrigo, de segurança e de conforto, quer para o indivíduo, quer para as famílias”, reforça.

Ainda em fase de desenvolvimento estes projetos vão procurar estudar as diferentes relações entre as dinâmicas demográficas e a habitação, com o intuito de propor novas políticas que permitam resolver um dos principais problemas que afeta a população da AML.